quinta-feira, 14 de julho de 2016

Resenha: Hecatombe Hipotética

Não lembro qual foi o último livro de poesia que li; faz tanto tempo que até comentei com a Cláudia sobre isso mas, como estou sempre aberta à literatura, aceitei ler o "Hecatombe Hipotética" e não me arrependi; redescobri a poesia e adorei. 

Hecatombe Hipotética

Autora: Claudia Gomes

Editora: Independente

Sobre o livro:

Claudia Gomes declara que se trata de um livro com poesias mais do que marginais, e sim experimentais. Sua escrita avança alguns padrões literários, sem rima ou métrica, onde se detém a demonstrar sua arte individual e seus sentimentos. O eu lírico e a autora se fundem propositalmente. Ela acredita que para escrever é preciso paixão. E alega: “Para mim a paixão é algo íntimo e pessoal, dentro da gente, e que podemos expressar de muitas maneiras, embora nem sempre sabermos lidar ou reconhecer a tênue linha entre a palavra e o "se expor", se expor é importante para que se obtenha alguma profundidade”.
O tema central da obra é a sua personalidade, conforme declara: “É a minha pessoa, eu mesmo, a minha intimidade. Eu falo de amor e de sonhos, com doses de humor, de sentimentos, de contemporaneidade, do dia a dia e dos pensamentos que a gente esconde até de nós mesmos”.
Dividindo-se entre a sua fonte inesgotável de criação e comemorando a sua mais nova obra, a autora deseja que todos se permitam “marginalizar’se”, pedindo uma boa e ousada leitura: “Não julguem-no pela capa. A capa é delicada e tem um ar “teen”, mas cuidado, pois esconde os gritos, o sexo, as histórias e os palavrões dentro de mim”. E de todos.

Meus comentários:

A capa e os desenhos do livro são meigos porém, na verdade, o livro é uma hecatombe; tem o trajeto do dia, a viagem e a noite; tem o sexo e o amor; o começo e o fim; e a construção e a desconstrução.

Notei muito essa desconstrução nas poesias; tive essa sensação de começo e fim muito forte e algumas poesias, aquelas nas quais eu me encontrei, trouxeram sentimentos mais fortes ainda.

"Palavras em tubos de ensaio, frases cozinhando num béquer, letras destiladas. Foi um processo fazer este livro. Poesia é uma fórmula muito pessoal, e eu espero que a gente tenha química". 

Resumindo: A história é uma hecatombe, que por enquanto ainda é hipotética (e poética).
Para ler quando quiser desconstruir.

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Você conhece?

Já faz um tempo que eu admiro as caixas surpresas literárias, nas quais você paga um valor mensal e recebe um livro e alguns itens literários de surpresa, mas só encontrava elas no exterior e sempre achei o frete internacional absurdo.

Recentemente descobri que foi lançada uma caixa surpresa de livros YA (Jovem Adulto) aqui no Brasil, o "Turista Literário" e trouxe a novidade para quem não conhece.


E você, já assinou alguma caixa de surpresas literária? Conte aqui nos comentários!

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Resenha: Um Toque de Morte

Imagine como seria descobrir que um toque seu pode matar? Como ficaria a sua consciência?

Um Toque de Morte

Autora: Luiza Salazar

Editora: Draco

Sinopse:

E se a Morte estivesse sempre ao alcance de suas mãos?

Pode me chamar de Kat. Eu daria tudo para ser apenas uma jovem universitária, preocupar-me com os assuntos discutidos nos trens, nos corredores das escolas, nas ruas: qual roupa vestir na festa, qual o futuro da política do país, quem vai ganhar o jogo esta noite. É, você entendeu.
Mas na minha cabeça só há espaço para uma preocupação: quem será a minha próxima vítima.
Eu sou uma Ceifadora. Isso significa que posso matar com um simples toque das mãos, um dom que desejava todos os dias não possuir. Mas quando aqueles dois estranhos apareceram na minha vida e fizeram tudo virar de pernas pro ar, comecei a entender que existem pessoas que fariam de tudo para controlar esse meu poder indesejável. Até mesmo me matar. É até irônico, né?

Um Toque de Morte é um romance fantástico de Luiza Salazar, uma aventura pelas sombras que se escondem nos becos da cidade.

Não se deixar envolver, não se aproximar demais. Essa é a maldição dos Ceifadores, não poder sentir o mundo com a própria pele.

Resenha:

"Um Toque de Morte" é bem diferente dos clássicos romances fantásticos com lobos e vampiros; no livro existem pessoas com talento, como os ilusionistas, ventríloquos, deslocadores e a personagem principal da história, Kat, que é uma ceifadora.

Ser uma Ceifadora significa que sou e sempre serei uma assassina, afinal foi a natureza que me fez assim, certo? Minha consciência está em um estado de constante adormecimento, já que não consigo lidar com o julgamento da minha própria cabeça vinte e quatro horas por dia.

Kat conhece algumas pessoas com talento, ela vê muitas delas por causa do bar onde ela busca serviços com o Chefe, mas durante o livro ela descobre que esse mundo é muito maior do que ela imaginava. Porém, essa descoberta vem com uma escolha; e a dúvida final é se a Kat vai escolher o lado bom ou lado mau?

Resumindo: A história é uma mistura de magia, romance e descobertas.
Para ler quando quiser se surpreender.